Gravidez

 

  • Gravidez

    Gravidez

  • A gravidez corresponde ao período de gestação contando a partir da fecundação até o nascimento, que ocorre geralmente após 38 semanas.

    A relação da massagem com este período carrega um grande tabu devido ao fator estímulo, onde as mulheres temem a possibilidade de acontecer algum problema causado pela terapia. Queremos elucidar algumas dúvidas com referência a isso, pois nada impede que uma gestante receba uma massagem apenas para o relaxamento e para a diminuição das dores e dos inchaços do corpo.

    Mais de 80% dos abortos espontâneos ocorrem durante as 13 primeiras semanas. Em casos mais raros acontecem bem mais tarde. Segundo pesquisas as chances maiores são: Idade – mulheres mais velhas correm maiores riscos. Histórico abortivo – problemas congênitos ou genéticos na família. Problemas no útero ou no colo do útero. Problemas com certas infecções – risco maior em portadoras de listeriose, caxumba, rubéola, doenças venéreas, entre outras. Hábitos de fumar, beber e consumir drogas – além do perigo de um aborto espontâneo o feto corre o risco de nascer com algum problema. Uso de certos medicamentos incluindo antiinflamatórios não-esteróides. Diabetes, doença renal ou problemas de tireóide (embora o risco seja menor quando essas condições são monitoradas).

    Na maior parte dos abortos espontâneos do inicio da gravidez, o motivo é desconhecido. É provável que ao menos, metade dos casos ocorridos no primeiro trimestre deva-se a anormalidades cromossômicas que impediram o desenvolvimento normal do feto. Após 20 semanas, os abortos podem ser conseqüência de infecção ou de alterações no útero ou na placenta, ou ainda a chamada insuficiência cervical (o colo do útero não é forte para se manter fechado até a hora do parto).

    Se a mulher já teve um aborto espontâneo, o médico poderá sugerir algum tipo de repouso nos primeiros meses, embora não haja comprovação de resultado real. No caso de problemas no colo uterino, o médico pode realizar uma sutura na região para mantê-lo fechado até que o bebê esteja desenvolvido e pronto para nascer, procedimento conhecido como cerclagem.

    Portanto não existe nenhum fato comprobatório que a massagem, com movimentos de deslizamento e leves pressões, possa provocar qualquer mal tanto para a gestante quanto ao bebê. Mesmo assim, no período dos três primeiros meses pedimos uma liberação médica para que possamos fazer a terapia com mais tranqüilidade.

NOSSAS REDES SOCIAIS
Email this to someoneShare on TumblrTweet about this on TwitterShare on Facebook