Vivenciar emoções de maneira equilibrada

874122b8d65ed9c5731f21cd44a6e477Segundo os sábios orientais, o ser humano nasce ansioso e, por isso, a prática da paciência é muito importante na vida. Além da ansiedade, é necessário passar por sentimentos como alegrias, tristezas, raivas e medos. É natural vivenciá-las conforme se amadurece. Porém, tudo de maneira equilibrada, já que o desequilíbrio parte do que se chama de falta ou excesso destes sentimentos.

Por exemplo, a raiva ataca o fígado e, dias depois, ocasiona sintomas como gastrites e enxaquecas. Muitas vezes não se pode, ou melhor, não se deve liberar a raiva naquele momento, bem como não é saudável “engolir” esta emoção. Neste caso, para liberar a raiva sem tomar atitudes impensadas é mais indicado juntar almofadas, fechar os punhos e socá-las imaginando aquela situação vivenciada e engolida. Neste momento solte gritos – libera energia do fígado – e mantenha os olhos abertos pois libera energia da vesícula. Grite e olhe com raiva; faça com força e raiva; isto deixa a pessoa muito leve no final e com o sentimento extravasado.

Já a tristeza influencia diretamente os pulmões, daí o fato de se encolher o peito e suspirar em vez de respirar. Caminhar e tomar sol por pelo menos 10 minutos já ajuda, porque a caminhada faz o indivíduo respirar melhor e o sol eleva o nível de serotonina no organismo.

Outro sentimento comumente vivenciado é o medo, que influencia a energia dos rins. Não é exagero “fazer xixi na calça de tanto medo”, como se diz popularmente. Em excesso, essa emoção impede algo que a vida sempre pede, as mudanças. Um exercício interessante é fazer caminhada de costas, por exemplo, já que permite tomar atitudes sem ter de ver para onde está indo. Desperta a coragem de avançar por caminhos diferentes sem se apoiar na visão exata das coisas.

Já a ansiedade pode influenciar na energia do baço e pâncreas, por isso a tendência das pessoas é ingerir mais doces quando estão ansiosas. Um bom exercício é imaginar-se no carro descendo a serra a 140 km/h e, ao chegar à praia, lhe perguntam se você viu aquela  linda cachoeira no meio da serra. É lógico que não viu, pois nessa velocidade ou olha para frente ou bate o carro. Na verdade o segredo não é pisar no freio. Ou seja, a ansiedade faz a pessoa correr e não enxergar nada ao redor. Isto leva o indivíduo a acelerar sempre mais porque sempre tem a sensação de que está pra trás.

Para quem vive nesta ansiedade o primeiro passo não é parar de uma vez, como ter férias de um mês, por exemplo, já que isto vai causar tédio. O melhor seria aos poucos ir praticando terapias como massagens e acupuntura, já que estas técnicas fazem a pessoa ir desligando e tomando uma consciência corporal de forma saudável e gradativa.

Posted in:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *